Pesquisar
Close this search box.

Vistoria cautelar: saiba tudo sobre o processo

E aí, motorista! Tudo bem? Se você está no processo de transferência de um veículo usado ou seminovo, deve estar se perguntando o que é vistoria cautelar. Essa etapa é indispensável, independentemente do tipo de veículo (carro ou moto). 

Consulte aqui

Resolva os débitos do veículo de forma simples e rápida
Vamos enviar um código de confirmação no seu telefone para continuarmos. A confirmação do telefone é para garantir a segurança dos seus dados.

Consulte aqui os débitos do seu veículo

vistoria cautelar - imagem de pessoas fazendo vistoria

E aí, motorista! Tudo bem? Se você está no processo de transferência de um veículo usado ou seminovo, deve estar se perguntando o que é vistoria cautelar. Essa etapa é indispensável, independentemente do tipo de veículo (carro ou moto). 

A vistoria cautelar garante que o veículo tem procedência válida e pode ser transferido sem causar prejuízos. Quer entender mais sobre essa etapa? O Gringo, o melhor amigo do motorista, separou um artigo especial sobre ele. Saiba qual é a documentação exigida, o que é verificado e muito mais.

Afinal, o que é vistoria cautelar?

O que é vistoria cautelar? Esse procedimento certifica a autenticidade das informações fornecidas pelo motorista. Em outras palavras, verifica as condições do veículo, garantindo que o novo comprador não está sendo enganado durante o processo de venda.

Não se engane: a vistoria cautelar é diferente da vistoria prévia. Essa última é reservada para as empresas seguradoras. Nesse caso, certificar-se de que o veículo está adequado para o oferecimento de um plano equivalente. 

Como a burocracia da vistoria cautelar funciona?

Agora que você já sabe para que serve a vistoria cautelar, vale seguir para a documentação. Enquanto a vistoria veicular requer a conferência de diferentes documentos, não só do veículo, mas do comprador, na cautelar, você só precisa apresentar o CRLV.

Como o nome já sugere, a vistoria cautelar é muito mais cautelosa. Ela verifica toda a questão burocrática da transferência, incluindo se há a possibilidade de clonagem do veículo. Aqui, é chegado se não há nenhum tipo de pendência (como falta de pagamento de IPVA, licenciamento, etc) que possa causar problemas jurídicos.

Todo esse processo deixa a compra do veículo muito mais segura. Afinal, garante que o veículo esteja em boas condições (burocráticas e físicas) para evitar qualquer tipo de acidente ou dor de cabeça para o novo comprador. 

O que é analisado?

O processo de vistoria cautelar faz um check-up completo no veículo, verificando todos os pontos mais importantes das condições físicas e burocráticas. Abaixo, confira os itens avaliados.

Condições físicas

  • Alinhamento;
  • Vidros;
  • Freios
  • Amortecedores;
  • Pintura;
  • Pneus;
  • Motor;
  • Lacres da placa;
  • Numeração do chassi;
  • Possível adulteração no velocímetro.

Documentação

  • Consulta de CNH por CPF; 
  • Passagem por leilão; 
  • Indício de sinistro; 
  • Risco de comercialização; 
  • Aceitação em seguros; 
  • Restrições e impedimentos; 
  • Gravame; 
  • Recall pendente; 
  • Precificador Fipe; 
  • Dados cadastrais nacionais e estaduais; 
  • Antecedentes de roubo e furto; 
  • Indício de km; 
  • Multas e outros débitos.

Como fazer a vistoria cautelar?

vistoria cautelar

Sabendo que a vistoria cautelar serve para a transferência, você pode fazer de duas formas: em empresas credenciadas ou com um engenheiro com registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA). 

A vistoria cautelar não é obrigatória, ficando à disposição do comprador. Quando se pergunta “quem paga o laudo cautelar: o comprador ou o vendedor?”, a resposta é o vendedor. Ele dirá se é necessário realizar a vistoria ou não. 

Essa dinâmica muda somente quando o veículo é vendido por uma pessoa jurídica, como uma concessionária. Neste caso, segundo o Código de Defesa do Consumidor, o comprador pode solicitar a vistoria, feita pelo vendedor. Em outros casos, deve ser feita uma negociação sobre a necessidade do processo.

A Lei Federal n°13.111/2015 diz que o vendedor deve informar sobre a situação do veículo para o comprador. Caso ele se negue a dispor das informações, é um sinal de alerta. Nesse caso, é indicado consultar a placa. Se ele negar a vistoria por não ter como arcar com os custos, o comprador pode assumir. 

Quanto custa?

Agora, você deve estar se perguntando: quanto custa a vistoria cautelar? A resposta é diferente de acordo com o estado. Por isso, é válido consultar as empresas fornecedoras do serviço para a checagem do valor exato. Em média, a vistoria costuma custar entre R$ 120 e R$ 300.

Super App do Gringo: o melhor amigo do motorista!

Além da vistoria cautelar e da vistoria veicular, o blog do Gringo conta com outros conteúdos especiais sobre todo o processo de transferência, compra e venda de veículos. Confira os artigos e não deixe nenhuma etapa passar.

Aproveite para baixar o Super App do Gringo, o melhor amigo do motorista. Ele ajuda a consultar a situação do seu veículo e manter as pendências em dia. Com ele, você pode resolver o IPVA, o licenciamento e as multas em até 12x no cartão de crédito ou, se preferir, pelo boleto bancário e pelo Pix. Baixe já

 
Muito bom, paguei meu IPVA no PIX, foi muito fácil. Bem melhor que ir em lotérica!

Fórum de discussão

Respostas de 2

  1. boa tarde. Qual o motivo de um comprador exigir inspeção veicular se é mais completa a inspeção cautelar?? O vendedor presenta a inspeção veicular. isto basta para a compra do veiculo?

    1. Olá, Nelson, Tudo bem?!
      Na compra de veículos entre pessoas físicas, existe a vistoria veicular e a vistoria cautelar.
      A primeira, é uma avaliação que verifica a segurança e a propriedade dos veículos, sendo obrigatória na transferência. Normalmente, o comprador arca com os custos da vistoria, mas o vendedor é responsável se houver pendências.
      Já a opção da vistoria cautelar é mais detalhada e voltada para questões burocráticas, como clonagem e pendências legais, oferecendo maior segurança ao comprador. Todo esse processo deixa a compra do veículo muito mais segura. Afinal, garante que o veículo esteja em boas condições (burocráticas e físicas) para evitar qualquer tipo de acidente ou dor de cabeça para o novo comprador, mas a vistoria cautelar não é obrigatória, ficando à disposição do comprador.
      Quando se pergunta “quem paga o laudo cautelar: o comprador ou o vendedor?”, a resposta é o vendedor. Ele dirá se é necessário realizar a vistoria ou não.
      Um abraço e #ChamaOGringo🚗💙

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine para receber conteúdo exclusivo