Moto elétrica precisa de CNH? Confira agora

Com a alta dos combustíveis, as pessoas estão pensando em novas alternativas, como as motos elétricas. Mas você precisa de CNH para dirigir uma? Veja agora.
Moto elétrica

As motos elétricas viraram febre no Brasil, principalmente nos últimos anos. E não é à toa, são veículos práticos, econômicos e que respeitam o meio ambiente, sobretudo quando comparamos com as motos tradicionais, movidas à gasolina ou etanol.

Mas, grande parte das pessoas que consideram comprar esse tipo de veículo se perguntam: é necessário algum tipo de habilitação para dirigir motos elétricas?

Pois bem, é sobre isso que falaremos agora, motorista! Ainda mais se considerarmos que até abril de 2021, a classificação de moto elétrica não existia de maneira explícita no Código de Trânsito Brasileiro. 

Bora lá?

O que é uma moto elétrica?

A Moto elétrica é um tipo de veículo de duas ou três rodas que utiliza a energia na forma elétrica para funcionar. Basta dar carga na bateria por algumas horas, em uma tomada mesmo, e pronto, você pode circular com um veículo prático, econômico e super moderno.

De maneira prática, a moto elétrica possui um motor elétrico no lugar daquele à combustão, além de baterias, normalmente de íon-lítio ou chumbo ao invés de um tanque de combustível, presente nas motos tradicionais.

Por conta dessas e de outras diferenças, a classificação de potência das motos elétricas é diferente da utilizada nos veículos a combustão. A unidade de medida é watts (W) e não cilindradas ou cavalos de potência.

Mas e em relação à habilitação necessária para dirigir uma moto ou scooter elétrica, quais são as obrigatoriedades? É sobre isso que falaremos agora, motorista.

Motos elétricas precisam de habilitação?

Caso você ainda não saiba, em abril de 2021, entrou em vigor uma série de alterações no CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Vale a pena mencionar esse fato, pois até então a classificação de moto elétrica não existia no conjunto de normas de trânsito do nosso país.

A partir desta data, o CTB incluiu veículos de propulsão elétrica de até 4 kW, as motos elétricas, como ciclomotores. Portanto, as leis vigentes para os ciclomotores devem ser utilizadas também para estes veículos elétricos.

E quando olhamos as obrigatoriedades para direção de um ciclomotor, o CTB exige que o motorista possua a CNH categoria A ou a Autorização para Conduzir Ciclomotores, conhecida popularmente como ACC.

Portanto, fique atento, motorista: se você quiser dirigir uma moto elétrica, precisa estar habilitado na CNH A ou com a ACC.

Qual a diferença entre a CNH categoria A e a ACC?

Mas, qual a diferença entre esses dois tipos de habilitação? A gente te responde agora!

CNH categoria A

A carteira de habilitação categoria A permite ao motorista pilotar veículos motorizados de duas ou três rodas, com ou sem carro lateral e que possuam mais que 50 cilindradas;

Os veículos mais comuns da CNH A são as motos e as motocicletas. Além disso, quem está licenciado com esta categoria também pode dirigir todos os veículos permitidos na Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC).

Ou seja, se você possui a CNH categoria A, também está liberado para dirigir todos os tipos de ciclomotores, como as motos elétricas.

CNH A – Tudo o que você precisa saber

Habilitação ACC

Agora, caso você não possua a carteira nacional de habilitação na categoria A e não tenha planos de tirar a sua antes de dirigir uma moto elétrica, o outro caminho é tirar a ACC. 

A Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC) permite ao motorista dirigir exclusivamente ciclomotores. Mas, primeiro, vamos entender o que é considerado um ciclomotor.

De acordo com a Resolução do Contran Nº 842, é considerado um ciclomotor todo veículo de duas ou três rodas, que possua motor de combustão interna, com a cilindrada máxima de 50 cm³ ou motor de propulsão elétrica (e aqui estão as motos elétricas) com potência máxima de 4 kW e uma velocidade máxima de fabricação que não ultrapasse os 50 km/h.

Para dar início à ACC você precisa:

  • Ter pelo menos 18 anos;
  • Saber ler e escrever em português;
  • Ter um RG ou documento equivalente com foto atual, além de CPF próprio.

Você pode dar início ao processo da Autorização para Conduzir Ciclomotores tanto online quanto presencialmente junto ao Detran do seu estado.

As principais etapas para tirar a sua ACC são:

  • Gerar um cadastro no Detran do seu estado;
  • Realizar os exames médicos necessários;
  • Fazer o curso e a prova teóricas do CFC (Centro de Formação de Condutores);
  • É necessário também realizar o curso e prova práticas, posterior às etapas teóricas;
  • Por fim, com tudo aprovado, basta emitir o seu documento.

Para saber mais detalhes do passo a passo para solicitar a sua ACC no Detran/SP, clique aqui

Como as motos elétricas são relativamente novas no Brasil e ganharam os holofotes há pouco tempo, separamos abaixo as principais dúvidas e curiosidades que você possa ter sobre esses veículos. Bora conferir?

As 5 principais dúvidas sobre as motos elétricas

Em quais lugares a moto elétrica pode circular?

Para saber em quais lugares uma moto elétrica pode circular, precisamos entender o que diz a Lei a respeito dos ciclomotores.

Segundo o artigo 57 do CTB: os ciclomotores devem ser conduzidos pela direita da pista de rolamento, preferencialmente no centro da faixa mais à direita ou no bordo direito da pista sempre que não houver acostamento ou faixa própria a eles destinada, proibida a sua circulação nas vias de trânsito rápido e sobre as calçadas das vias urbanas.

A partir disso, podemos assumir que as motos elétricas podem circular em quase todos os lugares, exceto nas vias de trânsito rápido, cuja velocidade máxima permitida é de 80 km/h, rodovias sem acostamento, ciclovias e ciclofaixas.

Ou seja, você não pode pegar estrada com uma moto elétrica, combinado? Além de ser considerada uma infração no Código de Trânsito Brasileiro, não é seguro para você, motorista.

Qual a diferença entre e-bikes e as motos elétricas?

De acordo com a resolução nº 465 do Contran, as bicicletas elétricas ou e-bikes possuem uma potência máxima de 350 watts, sua velocidade não pode ultrapassar os 25 km/hora e não é permitida a existência de qualquer tipo de acelerador manual, ou seja, o motor elétrico presente nelas é acionado somente por meio dos pedais. 

Com isso, elas não precisam de qualquer tipo de habilitação para serem conduzidas e podem circular pelas ciclovias, ciclofaixas ou acostamento.

Já os ciclomotores, relembrando o que foi dito acima, são veículos cuja potência seja entre 351 watts e 4 mil watts, com velocidade máxima de 50 km/h e que possuam o motor elétrico estimulado por um acelerador. 

Além de precisar da habilitação categoria A ou a ACC, os ciclomotores não podem transitar pelas vias rápidas, rodovias sem acostamento, assim como ciclovias ou ciclofaixas.

A moto elétrica precisa de placa?

Sim, motorista! 

Como as motos elétricas fazem parte dos ciclomotores, esse tipo de veículo precisa não apenas de uma habilitação específica (CNH A ou a ACC, conforme vimos acima), como também deve ser emplacado e ter seu IPVA pago

Caso contrário, o seu veículo pode ser apreendido.

Como carregar uma moto elétrica?

Carregar uma moto elétrica é bastante simples! O procedimento pode ser feito utilizando tomadas comuns mesmo, tomando a devida atenção de conferir qual é a tensão específica do equipamento (110 volts ou 220 volts).

Além disso, é importante desligá-la antes de conectar na tomada, não tornar comum o carregamento dela quando a bateria ainda estiver mais de 50% carregada, ter a atenção de conectar o fio primeiro na bateria e depois na tomada quando for dar carga e, para retirar o carregador, seguir o caminho inverso, ou seja, tire primeiro da tomada e depois da bateria.

Essas são apenas algumas boas práticas recomendadas. Se decidir comprar uma moto elétrica, não deixe de ler o manual com bastante atenção, além de tirar todas as dúvidas com o vendedor, combinado?

Qual a autonomia de uma moto elétrica?

A resposta para essa pergunta pode variar bastante, motorista, isso porque a autonomia de um veículo elétrico depende tanto da potência do motor quanto da amperagem da bateria.

Hoje, tomando como referência os principais modelos do mercado, a média de autonomia de uma moto elétrica fica entre 40 e 50 km. Ainda assim, existem modelos que entregam uma autonomia de até 200 km. 

De todo modo, podemos perceber que as motos elétricas são ótimos veículos para serem usados no dia a dia, quando o motorista dirige por pequenas distâncias e busca por uma alternativa prática, econômica e acessível.

 E aí, motorista, este conteúdo conseguiu esclarecer as suas dúvidas?

Se ainda tiver alguma curiosidade sobre as motos elétricas ou até mesmo sugestões de conteúdos, deixe para a gente nos comentários que te responderemos.

Veja como o Gringo consegue simplificar a sua vida

Você sabia que com o Gringo é possível – e muito prático – consultar o IPVA e licenciamento do seu veículo, ver se possui pontos na Carteira de habilitação, pagar multas parceladas em até 12x e muito mais!

Não perca tempo, baixe agora o app da Gringo e experimente a sensação de ter o controle da sua vida como motorista na palma da mão! 

 
              

Fórum de discussão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine para receber conteúdo exclusivo

Baixe o App do Gringo