Tive o meu carro roubado: o que fazer para tentar recuperar?

Tudo bem, motorista? Ter o carro roubado já é uma situação chata e tudo o que você NÂO precisa é de ter uma dor de cabeça a mais. Veja o nosso passo a passo para resolver essa pendência o mais rápido possível e reaver seu veículo
carro roubado

Segundo a Ituran, empresa especializada em monitoramento veicular, com base em informações cedidas pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, apenas em 2021, cerca de 53 mil veículos foram roubados no estado. Em geral, os modelos preferidos dos bandidos são o Gol, seguido do Fiat Uno e o Onix.

A experiência de ter o carro roubado já é desgastante pela perda — mesmo que temporária — do bem em si, agora imagine lidar com a burocracia que vem a seguir, registrando boletim de ocorrência na delegacia, acionando seguro automotivo etc.? Se você fica cansado (a) só de pensar no caminho a percorrer para reaver seu automóvel, não se preocupe: é para isso que o Gringo está aqui.

Nos próximos tópicos você vai saber como proceder nesse caso!

Carro roubado: o que fazer primeiro?

Sabemos que é um momento de angústia e estresse. Algumas pessoas ficam tristes, pensando no prejuízo; outras se revoltam com as consequências da insegurança, mas independentemente da reação, é essencial ser racional. O primeiro passo é procurar uma delegacia de polícia.

Registre um boletim de ocorrência

É preciso comunicar às autoridades que seu veículo foi furtado ou roubado. Não apenas para que ele faça parte de estatísticas, mas porque, sem esse documento, você não vai poder dar entrada no seguro automotivo (caso tenha) para que eles tentem recuperar sua máquina. Além disso, também é uma forma de garantir que a polícia vai se empenhar para procurar e, quem sabe, reaver o carro.

Se possível, assim que notar a falta dele, já se antecipe e contate o 190 pelo telefone. Informe o máximo de detalhes, pois cada informação pode fazer diferença para agilizar o trabalho. Caso se trate de um caso de furto, é mais fácil: dá para registrar o B.O. pelo portal da Secretaria de Segurança Pública do seu estado.

Se foi um roubo, a precisão de detalhes é ainda mais importante. Caso alguma testemunha tenha presenciado a cena, peça que ela acompanhe e corrobore os dados, relatando as circunstâncias. Outro ponto importante: se havia objetos de valor no interior do carro — como notebook ou celular —, não deixe de pontuar aos agentes de segurança, principalmente se levaram documentos que podem lhe render uma multa, como a CNH.

Informe à Polícia Rodoviária Federal

Oi? Envolver a PRF? Sim! Sabia que eles têm um serviço de alerta instantâneo de roubo e furto de veículos, chamado Sinal? Graças a ele, é mais difícil usar o bem que foi roubado para praticar outros crimes em outras cidades, por exemplo, dificultando a fuga dos bandidos. Para notificá-lo, é muito simples: basta ligar para 191 ou acessar o portal da PRF. Cabe lembrar que esse recurso não substitui o B.O., não. É um complemento da ação da Polícia Civil.

Procure a seguradora

Seguro automotivo é igual plano de saúde: quem tem, paga para não usar. Infelizmente, há situações nas quais é preciso acioná-los e, quanto antes, melhor, afinal, os processos são burocráticos e nem sempre rápidos. Para quem está habituado à comodidade de rodar no próprio carro todos os dias, criar uma rotina nova vai demandar mais trabalho e, principalmente, tempo.

Então, relatar o caso para a seguradora deve ser feito assim que o boletim de ocorrência for finalizado. Você vai ligar para a companhia, informando a apólice e solicitando a indenização. Provavelmente serão solicitados alguns documentos pessoais, do carro e, claro, o comprovante policial do ocorrido.

Em 30 dias, você vai receber um retorno definitivo, informando um posicionamento do paradeiro do veículo — se ele tiver sido encontrado — ou referente ao reembolso do segurado. Uma dica importante: sempre tire cópias dos documentos do carro. Em uma situação como essa, se os originais estiverem no porta-luvas e forem levadas, pelo menos você vai poder contar com as cópias para dar andamento ao processo.

Solicite reembolso do IPVA

Nem todo mundo sabe, mas, se seu automóvel for furtado ou roubado, você tem direito a solicitar o reembolso do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores ou, simplesmente, IPVA. Não são todos os estados que oferecem esse benefício, mas em São Paulo é possível, sim.

Para pedir, você vai acessar o portal da Secretaria da Fazenda e Planejamento, que é a responsável pela cobrança do tributo, vai preencher as informações necessárias, como o número do Renavam, e submeter. Por outro lado, não é todo mundo que tem o reembolso deferido. Se você:

  • teve o automóvel sinistrado;
  • teve o automóvel roubado ou furtado antes de 2008;
  • possui pendências financeiras com a Fazenda;
  • o direito à restituição será negado.

Caso o reembolso seja autorizado, a Secretaria vai entrar em contato, sinalizando em qual banco será depositada a quantia. Para sacar, o responsável pelo carro terá que apresentar uma cópia do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), assim como um documento pessoal com foto.

E se o carro roubado for recuperado?

Em Ribeirão Preto, na região metropolitana de São Paulo, menos de 20% dos automóveis roubados são recuperados. Contudo essa taxa não se repete em todo o estado e, uma vez que o boletim de ocorrência é registrado, é possível, sim, que a polícia consiga localizar o bem. Quando isso acontece, surge uma nova condição: em qual estado (de conservação) ele foi encontrado?

Às vezes, o objetivo do crime é desmontar a máquina e comercializar suas peças ou usá-lo em outras ações criminosas. O fato é que a indenização ao proprietário depende da forma como ele foi achado. Então, a própria seguradora realiza uma perícia, identificando os possíveis danos e gravidade, para chegar a um valor.

Quando o custo do reparo é superior ao do valor do carro, o dono ganha a indenização cheia, ou seja, total, de acordo com a Tabela Fipe. Todavia, caso compense mais realizar o conserto, a seguradora vai providenciá-lo, seguindo o que foi acordado na apólice do seguro.

Uma situação possível de recuperação é quando o automóvel é resgatado e vai parar em um pátio do Detran. Nesse caso, assim como qualquer veículo que está lá, seu dono precisa arcar com a remoção e estadia, paga em diárias. No entanto, está transitando um projeto de lei (5165/20) que objetiva livrar os motoristas desse pagamento, dispensando-os mediante apresentação do boletim de ocorrência.

E sobre o IPVA restituído?

Bom, caso o dono recupere seu carro, ele volta a dever o imposto. Um novo pagamento deve ser realizado, proporcional aos meses que restarem até o fim do respectivo ano, considerando o mês da devolução da máquina. Em outras palavras, se você foi roubado em março e recuperou o carro em julho, será preciso pagar o IPVA pelo período de julho a dezembro, representando metade do custo original.

Como dificultar um roubo?

Infelizmente, nem sempre é possível se prevenir 100% de um ato como esse, mas cabe ao condutor usar ferramentas que diminuam as chances de ser vítima de uma ação criminosa. Para proteger seu carro, você pode:

Use um corta-corrente

Esse mecanismo é usado para impedir a partida do veículo. O criminoso consegue dirigir normalmente por alguns metros até que a máquina pára completamente e é impossível religa-la. Trata-se de uma boa medida para quem quer driblar a ação dos bandidos, mas evitando um confronto direto em caso de assalto.

Coloque um bloqueador

O dispositivo pode ser acionado de forma remota por um aplicativo de celular ou em um botão aleatório, presente no carro. Uma vez que ele é acionado, a alimentação de combustível é interrompida, levando-o a parar.

Contrate um rastreamento

Rastreadores e proteção veicular são a preferência de motoristas que desejam proteger seus automóveis, mas sem gastar demais, investindo no seguro. No caso do rastreamento, é instalado um GPS que passa informações de localização a uma central. Alguns modelos fazem a transmissão para um celular, repassando ao proprietário os dados latitudinais e longitudinais de onde está o bem.

Empresas que oferecem esse tipo de serviço, geralmente, trabalham com planos mensais de assinatura, e funcionam por meio de aplicativos, dando total autonomia a seus contratantes.

Coloque uma trava

O mercado dispõe de diversas opções de trava, sendo as mais comuns a de volante e a de freio de estacionamento e câmbio. A primeira é a mais barata. Ela é instalada nas laterais do volante, evitando que ele gire e o carro seja dirigido. Já o segundo, trava o freio de mão e o câmbio, inviabilizando a direção do ladrão.

Se você teve o carro roubado, não perca tempo, siga as recomendações que demos no decorrer deste artigo. É a agilidade que vai lhe poupar mais prejuízos nesse momento complicado. Por fim, vale lembrar algumas dicas simples, mas que podem fazer a diferença!

Certifique-se do uso da trava

Sabe quando a gente sai de casa e fica na dúvida se trancou mesmo a porta? O mesmo acontece na hora de travar o carro. Confirme 2, 3, até 5 vezes se for preciso, pois essa última checagem pode salvar seu dia!

Não deixe nada no carro

Leve bolsa, celular e tudo que estiver portando de valor. Se soltos em cima do banco, esses objetos podem chamar a atenção de quem estiver passando pela rua, tornando a situação de risco.

Evite locais perigosos

Evite trafegar em bairros e vias sem movimento, dando preferência a avenidas bem movimentadas e iluminadas. Lembre-se de que aplicativos de mobilidade nem sempre são confiáveis e podem lhe meter em armadilhas. Fique ligado nisso!

Seu carro foi roubado? Faça aqui o B.O. online!

 

Fórum de discussão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine para receber conteúdo exclusivo